terça-feira, 8 de março de 2011

Para um oito de março


Poemas há
que só podem ser escritos por mulheres.

Poemas de útero,
de úbere.

Poemas em curva,
labiados.

De uma sensualidade telúrica,

que traz no ventre
a possibilidade do verbo
fecundar outro corpo.


10 comentários:

Van disse...

ai que lindo!

fiquei sem palavras

Bjs Fabrício

Fabrício Franco disse...

Van,

Obrigado pelo elogio. Que todos os dias sejam de todos, sem distinção de sexo, gênero ou cor.

Beijos!

Lei disse...

Poxa, que lindo isso! Realmente é o que a mulher tem de mais singelo, né... poder fecundar um outro corpo dentro do seu. E essa noite, coincidentemente, eu tive um sonho maluco de que eu dava à luz uma menina.. eu hein! rs. Nunca tinha sonhado nada semelhante antes.

Beijo, Fá!

Fabrício Franco disse...

Lei,

Obrigado mesmo pelo comentário. E espero que sua 'gravidez' venha apenas em momento apropriado. Beijos!

Ana SS disse...

Coisas escritas com o ventre feminino me emudecem.
Lindíssima homenagem.

Fabrício Franco disse...

Ana,

Homenagem mais do que merecida...

Um beijo!

Anônimo disse...

Fabris... muito bonito e verdadeiro.

As diferenças já se iniciam nos olhares que nao distinguem as mesmas cores.

Parabéns!

[Diana Coy]

Fabrício Franco disse...

D.Coy, que honra a minha!

Um comentário seu é um grande presente. Obrigado!

Sempre me bati com a questão de ver as cores. O meu azul é o azul que você vê? O que eu chamo de verde é mesmo verde para você?

Que saibamos coadunar as diferenças de matizes, para podermos ver o que - de fato - é.

Beijo!

Su Palanti disse...

A singela visão de um homem de visão... Para homens como você dedicaria um d ia especial do ano, como temos nós as mulheres, embora todos os dias de uma vida sejam especiais em suas particularidades tanto para nós como para vocês.
Bjuss e obrigada pela visita.

Fabrício Franco disse...

Su,

Sou de sua opinião, de que todos os dias merecem ser celebrados, por serem, em si, únicos.

Quem agradece a visita sou eu. Fico honrado!

Beijo!

 
;