quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Peregrino


Estou no precário
de estar sem rumo,
onde a passagem sabe
das sendas que os meus pés
não mais abordam.

Eldorado,
Hespéria,
Pasárgada,
Cólquida,
Xangrilá,
reinos miríficos e mundos arcanos
já receberam a visita
de minha mala sem sossego.

A promessa de chegar
afasta o cansaço
das minhas solas gastas
e faz afluir o perto.

A distância é uma fronteira
em dissolução e assoma
como o regresso
prevalecendo-se dos passos.

Atrás de mim
seguem as pegadas
a caminhar pelas reminiscências
de meus roteiros,
a relatar não mais
que minhas trilhas imaginárias,
o fascínio de meus trajetos,
a tenção de meus andamentos,
meu sestro de andarilho.

8 comentários:

Anônimo disse...

Ah! POETA!
Seu texto me emocionou.
Pelo que bem conheço de você, compreendo sua VIAGEM(metafísica, nostálgica...)
Escreva sempre. Exercite seu talento!
Abraço, com carinho,
Andréa Marcondes

Fabrício Franco disse...

Caríssima Andréa,

Bom saber que meus escritos ressoam por aí. Mais que nostalgia, minha viagem é - sim! - metafísica, no sentido de ir além do que simplesmente há. Em paz com esse espírito viajor, hoje consigo compreender que não é preciso mover o corpo para alçar voos, alcançar distâncias.

Obrigado, sempre, pela visita!

Beijos, com meu carinho!!

Nanda disse...

As andanças devem ter resultado em muitas histórias, lembranças e aprendizado. Eu, ao contrário, pareço ter raízes; mas, cada um, cada um ! =)

Fabrício Franco disse...

Nanda,

Nem sempre as viagens precisam ser, necessariamente, de corpo. Muitas das minhas melhores translações foram feitas apenas lendo um livro, vendo um filme, pensando...

Obrigado pela visita!

Su Palanti disse...

Gostei muito...
As viagens realizadas através dos nossos sonhos - ou não - nos deixam uma memória tão vívida quanto real... Sua poesia é fluida, gostosa de ler...
Nos deixam o 'gosto do quero mais'...
Um abraço

Fabrício Franco disse...

Su Palanti,

Muitíssimo obrigado pela visita. Fico honrado em saber que o que eu escrevo promove, em você, essa vontade de mais palavras. Espero dar conta do recado. Enquanto isso, já visitou o resto do Logomaquia? Fique à vontade, a casa aqui é do leitor (ou leitora, como você).

Quanto às viagens, concordo contigo: não importam como sejam, no translado que fazemos, corpórea ou mentalmente, é que nos fazem viver essa vida (por isso mesmo, passageira).

Volte sempre!

Su Palanti disse...

Oi Fabrício!
Sim, visitei seu blog todo. Já o tinha feito em outras oportunidades. Mas também lhe faço um convite: visite os meus: http://escritoraquasebemsucedida.blogspot.com e http://vozesdemulher.blogspot.com.

Fabrício Franco disse...

Oi, Su!

Convite aceito! :)

 
;