quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Ciranda

                                
                              Quem aduz, induz;
       

    quem induz, conduz;                   quem conduz, deduz; 
                             
                              quem deduz, seduz;
                              

                              e quem seduz, aduz.

18 comentários:

Suzana Martins disse...

quem seduz, induz

Abraços meu querido!!!

Fabrício César Franco disse...

Suzana,

E quem se sente seduzido, talvez se mostre induzido a comentar, como você o fez. Fico muito honrado. Meu muito obrigado!

Um beijo!

Anônimo disse...

Caríssimo POETA,
Sua poesia ADUZ-me a reflexões profundas.
Sua obra me SEDUZ!
Por isto sou leitora frequente de seus textos.
Grande abraço,
Andrea Marcondes

Fabrício César Franco disse...

Andrea, caríssima!

Seu comentário TRADUZ o que sente. E meu contentamento RELUZ com isso.

Abraço, com carinho!

Nanda disse...

Essa ciranda quem me deu foi Fabrício que mora em Petrolina e não em Itamaracá! :D

Fabrício César Franco disse...

Nanda,

Coincidência: Lia de Itamaracá esteve fazendo suas cirandas por aqui, esta semana. Fui vê-la e me encantei com a música popular pernambucana.

Obrigado pela visita ao Logomaquia!

Um abraço!!!

Valença disse...

E Lia, do Sul entra na ciranda que seduz... como uma dança andaluz!

Raquel Sales disse...

Poeta,

Seduzir, aduzir... Às vezes, acabam por produzir um estado de contentamento impossível de traduzir... Fazem a alma abstrair.
Sua escrita tem esse dom.

Inté a próxima ciranda. Bj

Fabrício César Franco disse...

Raquel,

... E você se superando a cada novo comentário. Fez poesia, falta agora só publicar num blog ou num livro, quem sabe? Espero que essa ideia-semente germine numa realização, em futuro breve.

Obrigado pela visita e pelo comentário. Seja sempre bem-vinda por aqui!

Beijo!

Raquel Sales disse...

Poeta,

Obrigada pelo elogio/incentivo, mas não me atreveria. As letras (e todas as outras artes) são, para mim, refúgio, jamais vocação. Não condenaria o leitor a tamanho martírio... Rsrsrs

BJ e bom resto de semana...

Em tempo: rumo a curso, na capital, no fim de semana. Rota de refúgio: Casa FIAT se Cultura e o barroco italiano.

Fabrício César Franco disse...

Raquel,

... Ouse. Às vezes, o que chamamos de talento alheio é tão nosso que nem nos apercebemos.

Aproveite o barroco italiano por mim.

Abraço!

Fabrício César Franco disse...

Lia,

Muito obrigado por aceitar o convite para entrar na ciranda! Seja sempre bem-vinda!

Rafaela Figueiredo disse...

seduzida por essa adução - em ritmo e brilhantismo!

beijo, Poeta

Fabrício César Franco disse...

Oi, Rafaela!

... Que bom que veio! E deixou pegadas! Agradeço muitíssimo a sua opinião, vale-me muito.

Beijo, com carinho!

Su Palanti disse...

E quem, como você, conduz, aduz e seduz, também trás luz...
Como sempre, seu texto nos induz a pensar, a sonhar...
Bjuss

Fabrício César Franco disse...

Su,

... Que bom que faço pensar, além do escrito. Talvez seja por isso que escrevo, para permanecer na leitura alheia. Se abro uma fresta, que seja, de luz para apontar um caminho (qualquer que seja), já me satisfaz.

Obrigado pela visita!

Will Carvalho disse...

Tens segurado as palavras pela cintura e rodado com elas pelo salão, como um exímio dançarino, certo, poeta?

Fabrício César Franco disse...

Will,

Ao contrário, meu amigo. Elas tem ficado tímidas ao meu apelo, reclusas em seu silêncio. Quando muito, acenam, levemente, em pequenos meneios - e eu que tenho que adivinhar o que significam. Tarefa hercúlea!!

Obrigado pela visita!

 
;