domingo, 23 de outubro de 2011 8 comentários

Algo ágrafo


Minha vontade estende 
seus olhos longos para a folha.

A introspecção da paisagem:
fazendo massa crítica para escrever.

Olímpica em sua indiferença,
a musa fica lívida:

e me dá um branco.


quarta-feira, 5 de outubro de 2011 8 comentários

Peregrino


Estou no precário
de estar sem rumo,
onde a passagem sabe
das sendas que os meus pés
não mais abordam.

Eldorado,
Hespéria,
Pasárgada,
Cólquida,
Xangrilá,
reinos miríficos e mundos arcanos
já receberam a visita
de minha mala sem sossego.

A promessa de chegar
afasta o cansaço
das minhas solas gastas
e faz afluir o perto.

A distância é uma fronteira
em dissolução e assoma
como o regresso
prevalecendo-se dos passos.

Atrás de mim
seguem as pegadas
a caminhar pelas reminiscências
de meus roteiros,
a relatar não mais
que minhas trilhas imaginárias,
o fascínio de meus trajetos,
a tenção de meus andamentos,
meu sestro de andarilho.

 
;