domingo, 23 de outubro de 2011

Algo ágrafo


Minha vontade estende 
seus olhos longos para a folha.

A introspecção da paisagem:
fazendo massa crítica para escrever.

Olímpica em sua indiferença,
a musa fica lívida:

e me dá um branco.


8 comentários:

Illa disse...

Estou sempre aqui, me deliciando com cada palavra postada. Hoje, não poderia deixar de comentar porque até a falta de inspiração fica mais bela nas suas palavras. Escreva qualquer coisa, mas não deixe de escrever.

Fabrício Franco disse...

Illa, querida...

Não consigo deixar de escrever; é além de mim. Obrigado por suas palavras e, mais que tudo, por sua leitura de mim. Seja sempre bem-vinda por aqui!

Beijos, com carinho!

Impulsiva disse...

E sem musa... não dá! Seja uma musa real ou as musas que se vestem destas experiências que temos na vida e nos fazem querer mais e mais escrever...

Sempre bom vir por aqui!
Beijos,
Kenia Araújo.

Fabrício Franco disse...

Kenia,

Bom é quando a musa, mesmo a contragosto, vem nos fazer companhia, deixando-nos de presente um texto qualquer.

Bom é ter seu comentário, sua visita ao Logomaquia. Fique claro, de vez: seja sempre bem-vinda!

Beijo!

Su Palanti disse...

Illa

Mesmo na falta de ideias as palavras fluem... Belas.
Que dera a falta de inspiração inspirasse a todos uma linda poesia....

Andressa C. disse...

e me tira a cor.

Fabrício Franco disse...

Andressa,

Muito obrigado pela visita e pelos comentários. Seja sempre bem-vinda ao Logomaquia!

Fabrício Franco disse...

Su,

Primeiro, muito obrigado pela visita. Gosto de sua presença aqui.

Segundo, nem todas as vezes temos o beneplácito da musa. E aí, nenhum texto verte de nós, infelizmente, por mais que tentemos.

 
;