domingo, 29 de janeiro de 2012

Verbo


24 comentários:

Anônimo disse...

Arte poética. Arte gráfica. ARTE!
Você conseguiu (sem verborragia-sic!)definir a VIDA com tantos, tantos e apropriados verbos...
Reitero minha admiração!
Abraço,

Andrea Marcondes

Fabrício Franco disse...

Caríssima,

Se não sou tão hábil quanto os concretistas, que ao menos eu lhes roube o ensejo, não é? Obrigado pela visita e comentário (que eu esperava para outros dias, visto que havia me dito que não poderia estar aqui, tão rapidamente).

Abraço, com carinho!

Su Palanti disse...

Se verbo admite como sinônimos dicção, expressão, palavra e voz, o dinamismo de sua definição é provavelmente a síntese do Tudo.

Fabrício Franco disse...

Su,

É só mudar para falar, exprimir, palavrear e dizer, que sim... ;)

Obrigado, mesmo, pelo comentário!

Van disse...

Com certeza!

Permite conjuga-la em vários tempos vitais.

Um beijo Fabricio

Fabrício Franco disse...

Van,

Por isso, é tão divertida! Cabe a todos os gostos!

Beijo!

Anônimo disse...

Por isso que a gente cansa? Verbo demais pra se conjugar! Hehehehe

Beijo, rindo muito! Parabéns, como sempre! Se gostei? Isso nem se discute. ^^

Patrícia.

Fabrício Franco disse...

Patrícia,

Humor é, de longe, a atividade mais significativa do cérebro humano.

Escrevi isso no Twitter, pouco antes de seu comentário chegar. E eu não esperava suscitar o riso com o post, mas como negar tal (ótima) reação?

Obrigado pela visita!

Sandra Praciano disse...

Como eu gosto de te ler, Fabrício!

Teus escritos sempre me remetem à reflexão, à memória, ao dicionário...
Te lendo aqui, fiquei pensando:
Quais destes verbos tenho conjugado ao longo da minha vida?
De que modo?
Em que tempo?
Por quanto tempo?
Não tenho as respostas imediatas, mas de uma coisa tenho certeza:
O melhor tempo de se conjugar o verbo viver, sempre é o presente.

Abraço de admiração!

Fabrício Franco disse...

Sandra,

Fico muito contente em ter conseguido "arrancar" um comentário seu... rs rs rs Exageros meus à parte, reafirmo o que tenho dito: escrevo para o interlóquio; que o sentido de minhas palavras não seja simplesmente dado, mas construído no entendimento do leitor. Na duração do enquanto, que a poesia seja feita.

Abraço! Volte (e comente!) sempre que desejar.

Rafaela Gomes Figueiredo disse...

nossa! que síntese maravilhosa, Fabrício...

o bom é que, vezoutra, há tb os hiatos.
[amém]

Fabrício Franco disse...

Rafaela,

... Até silenciar é um verbo...

Fico muito grato com sua visita! Seja sempre bem-vinda!

Raquel Sales disse...

Fabrício,

Sabe quais foram as minhas inquietações/reflexões????

Quais verbos são responsávies por meus ataques pânico?
Quais atiçam minha euforia?

Ambos implicam adrenalina pura....

Abraço...

Fabrício Franco disse...

Raquel,

Mas até os verbos "gatilho" tem seus opostos colocados a nosso uso. Quando pânico ou euforia surgirem, aplicar o seu contraveneno correspondente...

Abraço!

Contradita disse...

Surpreender, encantar, pensar, repensar, você também é verbo.

=)

Fiquei pensando, quais seus verbos prediletos?

Os meus amar, cultivar, respeitar, ousar, ser.

Fabrício Franco disse...

Lory,

Meus verbos prediletos são conhecer, ensinar, pensar, conversar e maravilhar. A ausência do ser e do amar pode até alarmar, não é? Mas é que estes dois já são tão intrínsecos, que favoritá-los seria "chover no molhado".

Obrigado pela visita!

Nanda disse...

A vida é verbo; gostei. E também um RPG, como disse naquele dia, pelo twitter!=D

Fabrício Franco disse...

Nanda,

Dá para perguntar: quem é o Mestre do Jogo?

Obrigado pela visita!

Nanda disse...

Perguntar, pode; só não sei se tenho a resposta...rs - Antes de ir; seu escrito me fez lembrar a música de Gonzaguinha: 'Fico com a pureza da resposta das crianças; é a vida, é bonita e é bonia'...

Fabrício Franco disse...

Nanda,

Essa é uma das melhores respostas.

Abraço!

Anônimo disse...

Realmente a vida é verbo e que verbo!De todos, o melhor é , para mim, terlerviver(gostou do neologismo?)Parabéns, Fabrício, pelo texto. Amei.

Fabrício Franco disse...

Oi, Anônimo? (Da próxima vez, deixe seu nome, por favor?)

Obrigado pela visita. O neologismo é bem-vindo, embora eu goste muito do serescreverviver também.

Volte sempre (deixando seu nome da próxima, claro)!

Talita Prates disse...

É, é?!

E o morrer?
(................)

Bjo.

Fabrício Franco disse...

O morrer fecha o ciclo, Poetisa. Aquele que dá sentido a tudo o que veio antes.

Beijo!

 
;