terça-feira, 13 de março de 2012

Filosofema


Tua verdade
não é
a única,

mas aquela
em que mais
acreditas.

Eis:
em absoluto.


32 comentários:

Will Carvalho disse...

Acho que se existe verdade, é essa. A sua. Desde que você compreenda que existem também a minha verdade.

Se as vezes é dificil entender isso, imagine explicar em versos.

Pra poucos...

Fabrício Franco disse...

Will,

A tentativa foi mais de desabafo do que de explicação. Se lhe fez sentido, meu ganho então foi maior.

Obrigado pela visita!

Su Palanti disse...

Tua verdade, minha verdade, nossa verdade... Absolutamente, creio. Nas verdades.
Como sempre, impecável.
Bjuss

amigoZen disse...

Perfeito!!!

Fabrício Franco disse...

Su,

Que haja, ao menos, um paralelismo de verdades, apontando para a mesma direção. Quem sabe, assim, fazemos mais sentido?

Fico muito honrado com seu comentário.

Abraço!

Fabrício Franco disse...

Zroberto,

Que honra a minha ter um comentário seu por aqui! Seja sempre muito bem-vindo!!

Abraço!

Ariana Zahdi disse...

A verdade é que tua poesia ajuda o dia... bj!

Fabrício Franco disse...

Ariana,

Que eu consiga, então, perdurar nesse ofício de ajudar o dia alheio. É uma verdade com a qual quero me compromissar mais e mais.

Obrigado, mesmo, pela visita e comentário!

Beijo!

O Divã Dellas disse...

Belíssimo espaço!

Devidamente favoritado e merecidamente incluído na nossa lista de querdinhos.

Verônica

Fabrício Franco disse...

Olá, Verônica!

Obrigado pela visita. Fique à vontade, esse quinhão literário, embora capitaneado por mim, é de todos os meus leitores. O espaço dos comentários é para isso, para essa troca de ideias e impressões: meu arremedo de sala de estar, nessa arquitetura virtual.


Seja muito bem-vinda!

Mário Pires disse...

Enquanto forem algumas verdades realmente são as em que se mais acredita, tudo bem. O maior problema é quando a mentira, é a "verdade" em que se acredita. Valeu! Grande abraço! Parabéns pelo espaço!

Fabrício Franco disse...

Mário,

E como padecemos de mentiras tornadas verdades, não é? Ainda que nos pautemos pela clareza de propósitos, estamos sempre sujeitos à sedução do erro, do olhar enviesado, do engano bem talhado, que acaba parecendo genuíno. Motivos nobres, como religião, caridade, benevolência, não estão isentos de serem usados como escudo (ou lança, como queira) errado nas nossas batalhas de todo dia. A saída é, quem sabe, perguntar-se o real motivo de cada gesto que fazemos; mas são poucos os que aguentam tanta análise sobre si mesmo...

Abraço e obrigado pela visita. Volte sempre que desejar!

Raquel Sales disse...

Fabrício,

sem rodeios: amei. De verdade.

Bj

Fabrício Franco disse...

Raquel,

E da mesma maneira sucinta: obrigado. Tanto pela visita, como pelo comentário.

Abraço!

Anônimo disse...

É...

Verdade não existe de verdade
mas a gente precisa se sustentar em algumas, mesmo de mentirinha

;)


Beijão,
Lei.

Fabrício Franco disse...

Lei,

A verdade existe. Apenas nós, humanos falhos que somos, não conseguimos açambarcá-la como um todo. Vemos pequenos fractais de verdade, aquilo que cabe dentro de nossa compreensão (em constante mutação).

Mentira, só para quem não aguenta essa certeza.

Beijo!

Rafaela Gomes Figueiredo disse...

o absoluto relativo...
muito bom!
com suas [pseudo]Verdades, cada um segue seu rumo, achando saber o que, na verdade [!], nem se sabe...

beijo grande

Fabrício Franco disse...

Rafaela,

E assim vamos, tateando no escuro, tocando apenas parte do elefante (como naquele conto antigo) e achando, cada qual, que o animal ao nosso contato tem, pela parte que tocamos, a imagem convicta do (pouco) que compreendemos: cobra, rinoceronte, dinossauro...

Um beijo, com meu agradecimento pela visita e comentário.

Nanda disse...

Num mundo de tantas meias verdades, nada melhor que um tantinho de luz. Gostei do jogo de palavras do título. =D

Fabrício Franco disse...

Nanda,

Que possa haver luz (mesmo que pouca), não é? E o título veio primeiro do que o texto...

Abraço!

Anônimo disse...

Ah! POETA!
Seu epigrama é uma VERDADE!
..............................
E, nesta vida de tantas (falsas) verdades, tenho tentado ser menos cética... Preciso exercitar a humildade!
Só não descreio de nossa ORIGEM DIVINA! Jamais!
Meu abraço,
Andrea Marcondes

Fabrício Franco disse...

Andrea,

Muito ceticismo nos faz secos, e a vida é - como nós inerentemente somos - feita de água. Fluímos. Ou é para fluir que existimos. A verdade é nosso leito, por onde corremos a existência. Mas se duvidamos por demais, acabamos em bancos de areia, extraviados às margens.

Abraço, com carinho!

Van disse...

Fez sim, fez total sentido seu desabafo, Fabricio e, ficou bem claro a verdade. Que na verdade é relativa, cada um com a sua e quiçá talvez não exista nenhuma.

Parabéns pelo dia da poesia, poeta das contundências e letras fortes.

Beijos

Fabrício Franco disse...

Van,

Obrigado pelas palavras elogiosas. Sonho com um dia em que a poesia não precisará de um dia apenas, mas se espraiará por todos os 365 (366, nos bissextos) do ano.

Beijo!

Sahara Higino disse...

Que a verdade seja enredo
de laço a outras verdades.
E que abra-se ao incerto
para conhecer o mundo.

Verdade por si só;
Morre em pó.

Fico a seguir.
Paz!

Fabrício Franco disse...

Sahara,

Seja bem-vinda ao Logomaquia. Fico muito honrado com você por aqui. Conheça os recantos, o espaço é grande (e só cresce). Obrigado pelo comentário: concordo contigo, a verdade (em si e por si) nada é. Ela, em nós, é que é significante.

Paz!

Anônimo disse...

Será que em algum espaço-tempo minha verdade já foi uma grande mentira? Existe o absoluto atemporal?

Demorei mas apareci. :)

Você, como sempre, me fazendo pensar. <3

Beijo! Bom dia! Obrigada pelo aconchego daqui!

Patricia

Fabrício Franco disse...

Patrícia,

Toda verdade individual é passível dessa análise. E o absoluto, atemporal como é, existe sim. Só não nos pertence (ainda). Talvez seja uma escala mais à frente no nosso cósmico passeio pelo(s) universo(s).

Beijo!

carla disse...

Uma grande Verdade!

Feliz fim de semana,beijo

Carla Granja

http://paixoes-encantos.blogs.sapo.pt/

Fabrício Franco disse...

Carla,

Muito obrigado pela visita e pelo comentário.

Beijo!

Magda Albuquerque disse...

Concordo plenamente. A verdade não é única, mas individual. Por vezes, é coletiva quando se encontram.

Um beijo.

Fabrício Franco disse...

Magda,

E é no pedido desse encontro é que me fio. Que colidamos nossas verdades, para que vejamos uma só.

Beijo!

 
;