quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Maquiagem


Vozerio.
Frenesi.
Efervescência.
A música não se basta.

Balizas de uma festa.

Colo em meu rosto um sorriso
para entrar no tom.


12 comentários:

Rafaela Figueiredo disse...

Bem assim...
Tantas vezes preciso fazer o mesmo, meu caro, quando me aventuro por estes mergulhos sociais. Só pra não ser tão peixe fora d'água.

Beijos

Yohana Sanfer disse...

É como sentir-se fora do show?

Vim conhecer, Fabrício!
Belo blog!

Fabrício Franco disse...

Yohana,

... Você acertou no alvo: espectador fora do show, vendo tudo de fora, sem - muitas vezes - entender o que realmente se passa.

Obrigado pela visita, e volte sempre!

Fabrício Franco disse...

Rafaela,

Não é ser peixe por querer, mas talvez - tão somente - algo sereia, meio lá e cá, anfíbio nesse mundo dúbio.

Um beijo!

Nanda disse...

Você sabe que muitas vezes, ao te ler, lembro de músicas ou filmes, certo? Desta vez lembrei de um clássico dos anos 60: Tracks of my tears. E se o caso não for exatamente de tristeza, mas apenas, estranhamento, quem me vem a mente é Dexter. Por exemplo, sempre que vejo pessoas 'enchendo a cara', fico com cara de Dexter na primeira temporada...hahaha

Fabrício Franco disse...

Nanda,

A trilha escolhida, pérola da soul music, não é de todo fora de propósito. Adoro Smokey Robinson e, nessa conturbação de final de ano, a voz dele é um bálsamo.

Obrigado pelo comentário e pela amizade!

Van disse...

Oi Fabrício

Pelo menos você se esforça... Cola um sorriso.

Desejo um Natal e Ano Novo dentro do tom, mas do seu tom, aquele que só você sabe tirar.

Beijo

Fabrício Franco disse...

Van,

Muito obrigado pelo presente da sua visita por aqui. E sim: o tom precisa ser o mais idiossincrásico possível, sob pena de sair desafinado e destoante. Nessa época, estar condizente diz muito.

Beijo!

Raquel Sales disse...

Fabrício,

Bem oportuno. É tempo de maquiagem. Entremos no tom das festas.

Bj

Fabrício Franco disse...

Raquel,

Ainda que não queiramos, somos levados a entrar nas festas.

Que seja, ao menos, com a "cara" que escolhemos.

Beijo!

Anônimo disse...

Sim, POETA! viver é sinTONizar-se.
(Imagine se cada um manifestasse o que realmente está sentindo...)
Você, como profissional de RELAÇÕES PÚBLICAS, sabe que, na maioria das vezes, esta "maquiagem' não é falsidade. É tradução da CORTESIA, do ACOLHIMENTO;arte de CONVIVER.
Desejo -lhe um NATAL pleno de PAZ,e sorrisos realmente vivenciados!
Grande abraço,
Andrea Marcondes

Fabrício Franco disse...

Andrea, caríssima,

Muitas vezes, somos convidados a encenar personagens, no nosso convívio diário. Sortudos somos quando podemos despir a máscara, as vestes que não nos são, para nos revelar - com sossego e descanso - diante de pessoas que nos recebem como são. Bom saber que você é uma, senão a principal, delas.

Abraço, com grande carinho!

 
;