domingo, 23 de novembro de 2014

Moratória


Não me importa
se você vai demorar
: não tenho pressa.


16 comentários:

Regina Bittencourt disse...

Muito vale a dilação ou a suspensão. O tempo passa, mas os desejos não passarão.

Abraços.
Regina.

Anônimo disse...


Muito bom ver que sua poesia também mora nas palavras simples e até mesmo em pouquíssimos versos.

Beijo, poeta!

Morena

Fabrício César Franco disse...

Regina,

... Que os desejos sejam atendidos, pois não?

Abraços!

Fabrício César Franco disse...

Morena,

Menos é mais, muitas vezes. E a simplicidade está nos olhos de quem me lê (e isso é uma boa coisa!).

Beijo!

Raquel Sales disse...

Poeta,

Espera... palavrinha complicada... Sempre vem recheada de ansiedade e impaciência... Por vezes, espera-se por um encontro, outras espera-se por uma despedida...
Na versão do Romano de Sant’Anna...
“Se nos aproximarmos do lugar onde por uma eternidade esteve aquele que esperou, veremos não apenas marcas sobre o chão, papéis e tocos de cigarro, Ali estão outros destroços. Pedaços, fragmentos de um corpo, restos de sentimentos deixados por aquele que inutilmente esperou. Ali perdeu-se algo. Ali a vida de alguém coagulou. (Trecho de Arte e fuga da espera)”

Bj e boa semana

P.S.: Como de costume, menos é mais...

Fabrício César Franco disse...

Raquel,

Coagulado. Realmente, é assim que me sinto quando espero. E o que quero é sempre a fluidez, a leveza do que corre por entre as frinchas e produz movimento. "Pedra que rola, não cria limo".

Beijo!

Suzana Palanti disse...

Simples e direta, carregada de sentimentos... Poucas palavras que falam tudo.
Bjusss

Fabrício César Franco disse...

Suzana,

... Que bom ter sua leitura. Seja bem-vinda, sempre.

A simplicidade é artigo de ourivesaria, na poesia. Muita labuta para achar o cerne da palavra, a exatidão em poucos termos.

Beijo!

Anônimo disse...

Caríssimo POETA:
REITERO: longos ou breves, seus poemas sempre me encantam!
......................................
Hoje ao ler seu texto, refleti: toda expectativa traz ansiedade... mas é preciso exercitar a tolerância; principalmente, quando sabemos o VALOR do que é esperado.
Grande abraço,
Andrea Marcondes

Fabrício César Franco disse...

Andrea,

Sua sabedoria precisa ser exercitada por mim. Nem sempre consigo. A impaciência clama, urge, ruge. Difícil fazer ouvido mouco. Mas não impossível.

Abraço, com saudade!

Rafaela Figueiredo disse...

é um grande exercício, em tempos como estes..

beijo, Poeta

Fabrício César Franco disse...

Rafaela,

... Exercício, às vezes, árduo demais. Quase estóico.

Um beijo!

JB disse...

Quem espera sempre alcança? E se esse alguém alcançar, será o esperado? Sempre tive dúvidas...


Estava com saudades de ler! ;)

Fabrício César Franco disse...

JB,

Não posso responder por todos, mas de minha parte, eu tive 50% de sorte em esperar, e, por conseguinte, 50% de azar. Esperar é roleta russa. Pode vir de tudo.

Contudo, desesperar é que não podemos. Isso, não.

Volte sempre. Gosto de saber-me lido por você.

Beijo!

Renata de Aragão Lopes disse...

... desde que venha. =)

Fabrício César Franco disse...

Renata,

Condição essencial.

Beijo!

 
;