quinta-feira, 28 de abril de 2011

Receituário


)
Um poema
sob influências.
(

Desconfie do imperativo,
viva no indicativo,
pense no subjuntivo,
sonhe no infinitivo.



10 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

ADOREI!

Beijo,
Doce de Lira

Elem Rosa disse...

Muito bom outra vez!
Mas, só para continuar a conversa: é para sonhar em qual infinitivo? ;D
Beijo!

Fabrício Franco disse...

Elem,

O infinitivo é sonhar mesmo... :)

Beijo!

Fabrício Franco disse...

Renata,

Muito obrigado pelo elogio. Vindo de você, tão preciosista no seu achado de belas palavras, é uma grande honra.

Beijo!

Van disse...

e o pretérito é perfeito pra ajudar a conjugar estes, lembra o que deu certo ou não deu

Fabrício Franco disse...

Van,

... Sim, que o pretérito nos ajude a refletir sobre o que fizemos... :)

Talita Prates disse...

adorei! : )

Fabrício Franco disse...

Esse elogio, em particular, vindo de você é um ganho MAIOR: muito obrigado!!

Anônimo disse...

Poeta,

Sempre desconfiei que as aulas de gramática tinham um propósito muito maior do que aparentavam! Rsrs

É muito legal ver que sua escrita, independente da época é certeira.

Beijos,

Indie

Fabrício César Franco disse...

Indi,

Que desígnios tem a gramática, senão nos ver além das letras, das regras, o mundo em sua estrutura nada rígida? (Eu ouso pensar que sempre há algo sob as dobras do discurso).

Beijo e obrigado pela visita!

 
;