quinta-feira, 17 de maio de 2012


10 comentários:

Anônimo disse...

Ai, socorro! Que lindeza!

A noite chegou e eu nela, sem um resquício de nenhuma crença. Aí chego aqui e me derreto. E penso que a beleza é requisito importante pra continuar acreditando.

Beijo merecido. :-)

Patricia.

Fabrício Franco disse...

Patrícia,

Concordo imensamente contigo. A beleza é o contraponto da fé, seu resultado materializado, muitas vezes.

Beijo!

Su Palanti disse...

Nada melhor para definir fé do que esta linda garotinha e seu baldinho furado... E isso independe de religião, crença ou filosofia...

Fabrício Franco disse...

Suzana,

Para mim, fé jamais fica circunscrita à uma denominação religiosa. Acredito até que a religião seja uma das manifestações de fé, mas infelizmente tão maltratada pela petulância humana. O acreditar faz parte de nós, ainda que o que nos cerca nos demonstre apenas o adverso. Enquanto acreditamos, há forças para mudar, (re)aprumar. Morremos quando a fé nos abandona...

Raquel Sales disse...

Fabrício,

Neste instante, suas palavras amenizaram a minha dor de garganta... Você foi preciso e certeiro. Restabeleceu minha fé em momentos melhores...
Minha dúvida: quanto tempo da vida passo carregando baldinho furado? Espero nunca abandonar o utensílio beira a mar.

bjim até breve...

Fabrício Franco disse...

Raquel,

Dizem que a constância, aqui, mais do que em qualquer outro momento, é o requisito necessário. Cada baldinho é talhado para a mão de seu possuidor, e sempre nos acompanha, enquanto queiramos.

Abraço!

Rafaela Figueiredo disse...

imagem bonita.
bem verdade... é esse [im]possível [supostamente] alcançável!

beijos

Fabrício Franco disse...

Rafaela,

Justamente por ter me tocado tanto é que a imagem suscitou a frase (que já me acompanhava, noutros termos, há tempos). Se é - de alguma forma - alcançável, então ainda temos para onde seguir.

Meu beijo!

Anônimo disse...

Linda a imagem! E na frase "jocosa"
(sic!), a seriedade da FÉ.
...................................A FÉ nos faz crer em coisas que nem sempre entendemos pela razão.
Para Sto. Agostinho, "a Fé revela verdades ao homem, de forma direta e intuitiva. Vem, depois, a razão esclarecendo aquilo que a fé já antecipou".
Nas minhas experiências de VIDA, tenho comprovado esta afirmação.
Grande abraço, POETA.
Andrea Marcondes

Fabrício Franco disse...

Andrea,

... E não há um tempo para tudo, inclusive para ser mais leve e jocoso? Nem sempre a verdade deve vir impingida de seriedade. Há sabedoria no riso, não concorda? A leveza nos levará ao mais alto, costumeiramente.

Abraço, com carinho!

 
;