quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Onírico


Sonho com o mar.
A paisagem é úmida e sufocada,
insólita e precariamente equilibrada
– uma agitação dentro da quietude do sono.

Há outra praia? Houve outra?
A gentileza balsâmica deste oceano
carrega o peso de levar minhas emoções
para longe deste vazio,
que se faz a insignificância de meu sonho.


14 comentários:

Anônimo disse...

Você sabe que, até nos sonhos, o mar me revigora? Infelizmente, moro longe da orla marítima. Sofro NOSTALGIA do mar...
Veja o que escreveu Cecília Meireles (talvez, metaforicamente), no poema "BEIRA-MAR":
"E até sem barco navega
quem para o mar foi fadada.
Deus te proteja, Cecília,
que tudo é mar - e mais nada".
Meu abraço,caríssimo POETA!
Andrea Marcondes

Fabrício César Franco disse...

Andrea,

Padeço do mesmíssimo mal. O mar me é necessário, nem que seja só para sentir o cheiro da brisa marítima, ao cair da tarde.

Abraço, com carinho!

Su Palanti disse...

Abençoado mar... Dele vem vida, para ele vamos... nós.
Bjuss

Fabrício César Franco disse...

Suzana,

A quantos nós vamo-nos? :)

Um beijo!

Rafaela Figueiredo disse...

Nessa insignificância toda que dizes, duvido não se esconder a profundidade de um mar...

Beijo, poeta!

Fabrício César Franco disse...

Rafaela,

... Ainda estou, estupefato, tentando entender o que o mar esteve a me dizer.

Um beijo, poetisa!

Fernanda Fraga disse...

Essas insignificâncias sob o mar, cobre e revela nossos contrários que também são arestas de nós e o mundo.

abraços

Fabrício César Franco disse...

Fernanda,

E como escapar dessas arestas, senão sendo fluido e deliquescendo o sonho nas idas e vindas das ondas, quaisquer?

Obrigado pela visita!

Anônimo disse...

E aí,gatinho?
Escreve sempre aqui?

Beijomeliga

Fabrício César Franco disse...

Sempre, sou eu o escrevente desse blog!

Volte sempre!

Su Palanti disse...

Sonhar com o mar é coisa que sempre faço. Adormeço ouvindo o som das ondas que, com seu ritmo quase monótono, faz estourar imensas quantidades de espuma nas areias frias e convidativas de minha imaginação.
Bjuss

Fabrício César Franco disse...

Su,

Feliz é você, que pode adormecer com essa cantiga.

Beijo!

Raquel Sales disse...

Fabrício,

Amo o mar, mas penso que ele é meio bipolar: calmaria-ressaca. Atenção ao seu estado de humor é questão de sobrevivência. Aprende-se a tirar o melhor da maré.

Bj

ps.: vou voltando aos pouquinhos...

Fabrício César Franco disse...

Raquel,

Seja muito bem-vinda de volta! E sua observação sobre o mar muito me alegra, porque tendo a olhá-lo com olhos romanticamente ingênuos, sem perceber que ele tem esse lado devorador, destruidor. O sonho, então, pode ser um alerta.

Beijo!

 
;