domingo, 10 de novembro de 2013

Momentâneo


Divido o que vivo,
esta vida doidivanas:

de manhã, dádiva
(vivendo cada respiração)

de tarde, dívida
(no contínuo lidar com a vida)

de noite, dúvida
(a vida? Foi-se...)


16 comentários:

Raquel Sales disse...

Fabrício,

Forte coisa!!!! A vida é o paradoxo do meu ofício.
Resumi-la num complexo metabólico, isolado por membrana e dotado de autoduplicação é fácil, difícil é entender a extensão desse conceito. Nele cabem dos vírus (que não são nada simples) às sequoias e aos cachalotes. E nós (pequeninos) sofremos em dobro, por termos consciência de tamanha complexidade. Aff!!!
E a gente continua oscilando entre a dádiva, a dívida e a dúvida...

Que venha outra semana e, nela, prevaleçam as dádivas.

Inté. Bj


Fabrício César Franco disse...

Raquel,

Que as dádivas sempre prevaleçam, minha cara!

Beijo!

Valença disse...

Uma certeza: visitar teu blog e deixar-se instigar por teus escritos é sempre muito produtivo. Obrigado por partilhar! Bj

Fabrício César Franco disse...

Eliane,

Quem agradece a visita sou eu. Obrigado por se interessar pelos meus escritos. Fico muito honrado!

Um beijo!

Anônimo disse...

Poeta,

Não sei bem se a ordem do meu dia é essa, mas adorei esse jogo com as palavras!

Beijo,

Morena

Fabrício César Franco disse...

Morena,

Correndo o risco de restar-me na mesmice, mas ultimamente tenho me visto na ciranda em torno do tema. Quem sabe se, com o passar dos dias, semanas, meses, a situação não mude?

Beijo, com carinho.

Anônimo disse...

Caríssimo POETA,
Dádiva... dívida... dúvida... "Cést la vie".
"Malgré tout", melhor que vivamos na ESPERANÇA!
Grande abraço,
Andrea Marcondes

Fabrício César Franco disse...

Andrea,

"Malgré tout, nous continuons à vivre". Carregando nossas cargas pessoais, rumo a esta estação chamada Esperança (conhecida também por "Dias Melhores").

Abraço, com carinho!

Su Palanti disse...

As razões da vida, meu caro amigo... Com todas as suas antíteses e paradoxos...
Esta poesia particularmente me tocou bem fundo. Cada palavra foi uma aula de filosofia...
Bjusss

Fabrício César Franco disse...

Su,

Obrigado pela leitura generosa!

Beijos!

Rafaela G. Figueiredo disse...

e seguimos morrendo um pouquinho a cada fim de dia...
ou vivendo - diriam os positivistas.

um beijo, poeta

Fabrício César Franco disse...

Rafaela,

... Ou sobrevivendo, como agem os realistas.

Beijo, poetisa!

Van disse...

Oi Fabrício

O poder de síntese revela a grandeza do poeta.

Dádiva, dívida e dúvida, tudo que compõe a vida.

Beijos

Fabrício César Franco disse...

Van,

Obrigado pela visita! Que bom que posso ter seu olhar atencioso sobre meu texto. Fico ainda mais grato pelo elogio!

Beijo!

Nanda disse...

Gostei muito; embora evite sempre a dúvida...rs - Ótimo final de semana!

Fabrício César Franco disse...

Nanda,

A dúvida é nossa companheira constante, do primeiro momento ao último.

Ótimo final de semana!

 
;