sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Carne e osso



Exercício esquizofrênico:
entregue à busca dos limites
desta vida onde me instalo.
Pois sou de uma contenção
ferocíssima,
o dia todo dentro.
Pois careço
da alforria do ser;
ser
um cariz novo
que exista
exatamente.
Um cerne expurgado
de tudo o que lesa,
de todo o medo
que medra
entre os dias.

E enfim,
encontrar a mim mesmo:
homem superlativo, 

a contento.

14 comentários:

Anônimo disse...

Poeta,

de certo modo, todos nós vivemos nessa maldita contenção.Uns mais, outros menos.
Não sei dizer até que ponto somos responsáveis por nossa alforria.O que sei é que não podemos deixar que o medo ou o desânimo nos amarrem,nos engessem.
E,só pra você saber, você já é um homem superlativo.

Beijo,

Morena

Fabrício César Franco disse...

Morena,

Obrigado pelo comentário, e pelo imerecido elogio. Sinto ter que negar sua afirmação, porque para ser tal superlativo, eu teria que me sentir assim, provar-me assim cotidianamente, e isso não é o que acontece. Falta-me muito para tanto. Acredito, até, que só consiga tal ato quando não estiver mais vivo (aí, param também as tentativas de sê-lo).

Beijo, e obrigado pelo carinho!

Lyu somah disse...

Adorei Fabrício!
Gosto quando a leitura prende a atenção, e a sua fez isso. Acabei lendo 3 vezes pra passar a vontade kkk...

Parabéns, e lindo blog!
Um forte abraço a você.

Lyu Somah
http://lyusomah.blogspot.com.br/

Fabrício César Franco disse...

Lyu,

Obrigado pela visita e pelo comentário tão gentil. Seja sempre bem-vinda por aqui! Que você encontre sempre motivos para voltar (e reler).

Abraço!

Anônimo disse...

AH! PENSADOR na busca da perfeição...
...................................
Seus VALORES são percebidos por nós que o conhecemos tão bem!
Meu abraço, caríssimo POETA.
Andrea Marcondes

Fabrício César Franco disse...

Andrea,

Mesmo quem me conhece tão bem deve saber que há uma necessidade imperiosa de busca do alcance dos limites presentes. De todo modo, obrigado pela leitura sempre muito generosa!

Abraço!

Rafaela G. Figueiredo disse...

que a busca nunca se finde, meu caro. e que muitas (re)descobertas sejam realizadas.

um beijo com desejos de boas festas!
que 2014 venha lindo!

até lá!

Nanda disse...

Passando pra desejar um belo Natal, com paz e boas novas! :)

Fabrício César Franco disse...

Nanda,

Obrigado pela visita. Que os festejos de final de ano sejam bons para você e sua família.

Abraço!

Fabrício César Franco disse...

Rafaela,

Que os próximos 365 dias se revelem a nós como mais tranquilos e prazerosos, sem tantos atropelos e, sobretudo, com muito mais poesia.

Beijo, com carinho!

Raquel Sales disse...

Poeta,

Nunca sei onde está eu mesma... E por vezes, prefiro nem saber. rsrsrs

Quanto ao texto, muito bom como de costume.

Boa ressaca de Natal... Que venha o Ano Novo.

Bj

Fabrício César Franco disse...

Raquel,

Já eu, estou sempre me buscando...

Um ano novo supimpa para todos nós!

Abraço!!!

Su Palanti disse...

Talvez me encontre exatamente como você... na busca. Espero que consigamos encontrar o que buscamos.
Bjusss

Fabrício César Franco disse...

Su,

Meus antigos e queridos me diziam que a vida só cessa quando vislumbramos o que buscamos (porque alcançar, acho que ainda é algo muito além de nossa possibilidade humana). Então, que permaneçamos na trilha e que ela seja - ao menos! - divertida.

Beijo!

 
;